sexta-feira, 19 de abril de 2013

Aranha-violino ou aranha-reclusa-mediterrânica (Conhecida no Brasil por Aranha marrom)

(Loxosceles rufescens) - Dufour, 1820

Estamos em presença de uma espécie de distribuição cosmopolita, muito comum em Portugal continental.

Habita em dunas, grutas, prados, matagais, baldios e ainda em zonas urbanas, debaixo de pedras, troncos velhos e mesmo dentro de casas antigas.

A cor da carapaça pode apresentar-se amarelada, castanha ou mesmo levemente avermelhada e com a zona cefálica mais escura. Possui uma estria longitudinal também mais escura. O opistossoma tem forma ovalada. As suas patas, compridas, são da mesma cor da carapaça e do abdómen.  Mede de comprimento entre 7 a 10mm.

Não se conhece muito bem o efeito provocado nos humanos pelo veneno desta aranha. Sabe-se que existem várias espécies do género loxosceles que podem provocar danos com gravidade em humanos. Em Portugal desconhece-se a existência de casos. Já  Em Espanha e na Turquia são conhecidas situções graves de envenenamento, que provocaram necroses localizadas em pessoas, que foram atribuídos a esta espécie. Contudo não ficou provado de forma insofismável que a responsabilidade do sucedido pertencesse, de facto, à Loxosceles rufescens, já que existiam outras espécies presentes também suspeitas de poderem produzir efeitos  análogos. Em todo o caso, face às suspeitas existentes, parece-me prudente tratá-la como perigosa.

A lagartixa é o predador natural desta aranha.

Reino:     Animalia
Filo:        Arthropoda
Classe:    Arachnida
Ordem:   Araneae
Família:  Sicariidae
Género:  Loxosceles
Espécie: L. rufescens


Imagens captadas no Parque Natural Sintra Cascais













Enviar um comentário